loader image
Agosto: mês das vocações – Por André Patrick Maria do Nascimento

O mês de agosto é propício para refletirmos sobre as vocações. Esta iniciativa deu-se inicio em 1981, na 19ª Assembleia Geral da CNBB, tendo como objetivo conscientizar-nos de que todos nós somos vocacionados. Em outras palavras, nasce para fomentar a vocação eclesial na comunidade.

Por isso, cada domingo é dedicado a um tipo de vocação. Hoje, por exemplo, é dedicado as Vocações Sacerdotais, assim como o próximo será dedicado a Vocação Familiar; o terceiro as Vocações Religiosas. Concluindo o mês, estaremos unidos para celebrarmos as Vocações Laicais.

De fato, todos nós, batizados, e, portanto, filhos de Deus, chamados a vida nova, necessitamos buscar a vocação universal, isto é, a santidade (Cf. Lv 19,2; 1Pd 1,15), independente da forma que seja e onde quer que ocorra; sendo sacerdote, religioso (a), assim como, um pai ou uma mãe de família, como também, um leigo consagrado. Devemos em tudo escutar (shemá) a Nosso Senhor.

No entanto, alguns pontos fazem-se necessários. Em primeiro lugar, é Nosso Senhor que nos chama, assim como fez com Samuel (Cf. 1Sm 3,4-11), ou ainda, com os discípulos (Cf. Mc 1,16-20; Mt 4,18-22; Lc 5,1-11); em segundo lugar, este chamado deve ter por objetivo o outro. A vocação, qualquer que seja, deve ter como base o próximo. Ninguém se casa sozinho e tampouco os casais devem se individualizar, caso contrário, o chamado vocacional, não se consumaria, já que o individualismo predominaria; assim como os sacerdotes, religiosos (as), leigos (as) consagrados (as), não devem se individualizar, e sim, por em prática o primeiro mandamento.

Por fim, os vocacionados, certos de que foram chamados por Deus ao serviço do próximo, devem contribuir, à salvação de todos. Os casais, por exemplo, devem conceber sua união, não como um martírio e sim como meio à santificação. Do mesmo modo os sacerdotes e/ou religiosos. Devemos em tudo, por amor ao próximo, nos santificar mutuamente; eis o objetivo e a exigência que cabe a todos nós, uma vez que abraçamos livremente um modo de vida.

Dessa forma, percebemos como ao longo da história, Deus suscitou santos homens. Santas e santos fundadores de várias congregações, que por meio de um estilo de vida, buscaram livremente abraçar a vocação recebida de Deus, juntamente com todas as consequências que pudessem surgir, tendo sempre em vista a o amor e a salvação de todos.

Dedico estas últimas linhas a você caro leitor, que busca por em prática a vocação universal (santidade) abraçando um estilo de vida. Como jovem, eu os aconselho a buscarem um sacerdote para escutar seus conselhos. Em segundo lugar, lhes digo que se você percebe que está mais propenso a vida religiosa, se informe melhor sobre ela. Na Igreja há diversas famílias religiosas. Nós Barnabitas, por exemplo, temos como carisma RENOVAR O FERVOR CRISTÃO, aonde quer que seja!

Para mais informações entrem em contato conosco pelo número (91) 3665-3010 ou por nossa página: Seminário Mãe da Divina Providência. Aos casais que desejam fazer parte de nossa família, entrem em contato conosco pela página: Casais de São Paulo Província Norte do Brasil, ou ainda, as jovens que desejam se unir a Família Zaccariana, entrem em contato pelo Face book: Vocacional Irmãs Angélicas.

Em suma, onde quer que estejamos que possamos responder, a exemplo de Maria o SIM e que tenhamos como base o amor e como fim a salvação de todos! Que o Senhor da messe, continue suscitando santas vocações. Amém!

Faça a sua doação

Para a modernização dos equipamentos de transmisão da SANTA MISSA

Share This