Padre Giovanni Maria Incampo: 64 anos servindo a Deus!

Neste dia 31 de dezembro, Padre Giovanni Incampo completa 64 anos de Ordenação Sacerdotal, período marcado pela realização de muitos trabalhos em prol da evangelização que hoje fazem parte da história de todos os lugares por onde passou.

Ingressou no seminário aos 15 anos de idade; aos 24 foi ordenado sacerdote e desde 1969 foi designado para o Brasil, atuando em vários municípios paraenses (Irituiua, Bragança, Vígia, Capitão Poço) e também nas cidades de São Paulo (SP) e Brasília (DF).

Entre os destaques de sua atuação em terras brasileiras está a passagem pela Basílica Santuário de Nazaré, quando atuou como Pároco de Nazaré, entre 1972 e 1978, retornando ao cargo em 2016, permanecendo até 2018. Na Paróquia implantou a Guarda de Nazaré, as peregrinações de Nossa Senhora de Nazaré que antecedem o Círio, o Encontro de Casais com Cristo – ECC, a Renovação Carismática Católica – RCC, as Equipes de Nossa Senhora, dentre outros feitos.

Atualmente, aos 88 anos de idade, segue com grande vitalidade acompanhando de perto as atividades desenvolvidas na Basílica Santuário de Nazaré.

O próprio padre Giovanni fez um relato sobre sua trajetória:

“Sou italiano. Nasci em Altamura (Bari), “cidade do pão”, o melhor do mundo. Nasci com a vocação sacerdotal, religiosa e missionária. Aos 15 anos entrei no seminário Barnabita – Arpino; aos 24 anos fui ordenado sacerdote, em Roma. Durante 13 anos atuei na Itália como formador dos futuros Barnabitas: S. Felice como Vice Mestre (1957-1964), Lodi como Mestre (1964-1967) e Arpino como Reitor (1967-1969). Em 03 de outubro de 1969, festa de Santa Teresinha padroeira dos Missionários, aos 37 anos, de navio (Eugenio Costa) viajei para minha segunda e definitiva pátria, o Brasil onde, no Rio de Janeiro, cheguei no dia da descoberta da América, 12 de outubro, domingo, Festa de Nossa Senhora Aparecida e 176º Círio de Nazaré em Belém.

De português eu sabia só a Ave Maria que aprendi nos 9 dias de navegação, Genoa – Rio de Janeiro.

Em janeiro de 1970 assumi como pároco a paróquia de Irituia, o meu 1º amor brasileiro. Aprendi o português na marra convivendo sozinho com o povo ao qual, em 1971, presenteei o 1º Círio de Na. Sa. da Piedade. Dois anos depois, em janeiro de 1972, fui transferido do aventurado interior e conduzido para a capital, como pároco e superior da Paróquia-Basílica de Nazaré. Embora meio perdido, Deus e Nossa Senhora estiveram ao meu lado para dinamizar a paróquia, continuando a bela organização de Diaconias implantadas por Padre Miguel Giambelli quando vigário, e a Festa de Nazaré.

Um mês antes do Círio 1972, a paróquia lançou a 1ª Peregrinação de 300 Imagens pelas famílias só da Paróquia de Nazaré, preparando o Círio (cfr. Voz de Nazaré, Julho 1972). A Quinzena do Círio foi reestruturada com pregações, Romarias e confissões, ao longo do dia com equipe de pregadores: tudo isso por orientações dos Padres Redentoristas de Brasília e Aparecida chefiados pelo Padre Daniel Tamassia.

Guardas de Nossa senhora de Nazaré (1974); ECC: Encontro de casais com Cristo (1975); RCC: Renovação Carismática Católica; purificação da Diretoria do Círio, espiritualizando-a; disciplinando o Arraial (onde funcionavam até rendé-vous).

Em dezembro 1978, deixei Nazaré e Belém. Feito Superior Provincial em 1976, tive de assistir as várias comunidades da Província e a formação dos Noviços e dos Estudantes Professos a partir de 1979, em Bragança ou Belém.

De 1989 a Janeiro de 1991, fiquei pároco na nossa paróquia de São Rafael, de onde o Provincial Pe. Paulino me transferiu para novamente atuar na formação dos noviços.

De Janeiro 1992 a julho 1995 levei os Barnabitas para o município de Vigia. Lá transformamos a paróquia da Vigia, cidade e interior, em comunidade de comunidades (coisa inédita no Pará), seguindo a experiência do amigo e coetâneo P. Alfonso Pastore. Isso multiplicou muito o protagonismo dos leigos na Igreja e criou um diafragma poderoso contra o avanço do protestantismo.

Fora do Pará passei só 2 anos em São Paulo (1987-89), como pároco de S. Rafael, e um ano em Brasília-Samambaia (2002), como Mestre de noviços e Estudantes professos. De Samambaia passei para o Seminário Nossa Senhora Mãe da Divina Providência, no município de Benevides no Pará, como superior.

Em 2006, do Seminário de Benevides, voltei para a Basílica Santuário como Superior Provincial e local.

Em janeiro de 2013, não mais Provincial, fui destinado á paróquia de Capitão Poço, como Superior da comunidade. Desde agosto de 2015, voltei a atuar na Basílica Santuário.

Que Nossa Senhora de Nazaré e Santo Antonio Maria Zaccaria intercedam sempre pela vida e missão deste sacerdote tão querido e amado!

Fotos: Acervo – ASCOM Basílica Santuário de Nazaré

Faça a sua doação

Para a modernização dos equipamentos de transmisão da SANTA MISSA

Share This