0 PASTOR E SEU REBANHO – Por Dom Alberto Taveira Corrêa

“Ressuscitou o Bom Pastor; pelas ovelhas deu a vida e quis morrer por seu rebanho, Aleluia!” Assim canta a Igreja neste tempo especial, a Páscoa do Senhor Ressuscitado. O salmista já cantava há tanto tempo: “O Senhor é o meu pastor, nada me falta. Ele me faz descansar em verdes prados, para as águas tranquilas me conduz. Restaura minhas forças, guia-me pelo caminho certo, por amor do seu nome. Se eu tiver de andar por vale escuro, não temerei mal nenhum, pois comigo estás. O teu bastão e teu cajado me dão segurança” (Sl 22,1-4). Trata-se de uma das imagens mais belas na Sagrada Escritura, a do Pastor com seu rebanho, e esta retorna, justamente ao chamar Jesus de Bom Pastor (Cf. Jo 10,1-18).

Passamos, com toda a humanidade, pelo vale da escuridão, certamente inesperado, mas real e provocante para todos, sem exceção. Trata-se de um tempo de purificação, cujo consolo e fortaleza só podem vir da certeza de que o Senhor da história sabe para onde vamos e nos conduz num caminho seguro, ainda que não vejamos o porto de chegada! Podemos aproveitar a graça que nos é dada e conversar, em oração, com o Bom Pastor, recolhendo as intenções, súplicas, angústias e esperanças de todo o Povo de Deus, pedindo que ele mesmo nos conduza por sendas seguras. O rebanho “possa atingir, apesar de sua fraqueza, a fortaleza do Pastor” (Cf. Oração do dia do quarto domingo da Páscoa).

Senhor Jesus, Bom Pastor do Rebanho, tu és a porta das ovelhas. Tu és o guardião da entrada por onde todos desejamos passar. Nós te agradecemos por teres entrado pela porta de nossos corações, com admirável atenção à nossa situação humana. Sabemos que entraste na história de nossas famílias e de nossas comunidades. Concede-nos a graça de superar todas as resistências que o pecado pode ter criado em nosso coração. E olhando para ti, dá-nos o senso de respeito ao mistério das pessoas, à sua sensibilidade, sofrimentos e esperanças. Ajuda-nos a ter paciência e respeito uns com os outros, para que, com serenidade, cheguemos lá dentro da história de cada irmão e cada irmã. Senhor, sê para nós o porteiro que abre as portas daqueles que estão afastados de ti e de tua Igreja, pois sabemos que só por dentro caem os ferrolhos que impedem de abrir portas. E faze que sejamos uma Igreja de portas abertas, para que nossa cidade se encha de alegria.

Senhor Jesus, Bom Pastor do Rebanho, desde sempre fomos pensados na Divina Providência, cuja sede é a Trindade Santa. Senhor, cada um de nós pode dizer “tu me examinas e me conheces, sabes quando me sento e quando me levanto. Penetras de longe meus pensamentos, distingues meu caminho e meu descanso, sabes todas as minhas trilhas. A palavra ainda não me chegou à língua e tu, Senhor, já a conheces toda. Por trás e pela frente me envolves e pões sobre mim a tua mão” (Sl 138,1-5). Tu nos conheces pelo nome e pelos mínimos detalhes de nossa história. Nós te agradecemos por nos terdes chamado pelo nome. Na graça do Batismo fomos recebidos na casa da Igreja. Caminhas à nossa frente e queremos te seguir. Dá-nos a graça de reconhecer a tua voz no meio de tantas vozes que podem confundir-nos. Não nos permitas seguir mercenários que surgem a cada passo da vida.

Senhor Jesus, Bom Pastor do Rebanho, tu vieste para que todos tenham vida, e a tenham em abundância. Como Bom Pastor, dás a vida por tuas ovelhas. Que nenhuma delas se perca! Vem, Senhor, em socorro do teu rebanho, que sofre no corpo e na alma. Dá-nos a paixão pela vida em abundância para todos. Faze com que ninguém passe em vão ao lado daqueles que te reconheceram Senhor e Salvador, e acolheram a missão de ser portadores da vida para todos. Dá-nos a cura de todas as enfermidades físicas, emocionais e espirituais, porque sabemos que cuidas de todos e a ninguém abandonas. Sabemos que quem entrar por ti será salvo e encontrará sustento.

Senhor Jesus, Bom Pastor do Rebanho, que dás a vida pelas ovelhas. De ti ouvimos que “ninguém me tira a tua vida, mas tu a dás por própria vontade, com poder de dá-la e recebê-la de novo. Concede-nos a graça de viver as provações transformando a dor em amor. Se nos pedes a vida, saibamos oferecê-la, se nos permites a dor, que esta seja acolhida como participação em tua entrega. Aceita o que pudermos oferecer e o que soubermos oferecer como participação em teu mistério de entrega e salvação e como reparação por todas as ofensas que te são feitas pelas nossas fragilidades e pecados.

Senhor Jesus, Bom Pastor do Rebanho, que dás a vida pelas ovelhas. Tu tens ainda outras ovelhas, que não são deste redil; também a essas queres conduzir, e elas escutarão a tua voz. No vale da sombra da morte, temos encontrado tantas pessoas, e gente diferente, convicções diversas, todos nós, muitas vezes um ao lado do outro, sem levar em conta raça, nação ou convicção religiosa. Tu nos puseste ao lado dos outros, para superar preconceitos e medos, para nos sentirmos irmãos na mesma caminhada. Que nosso olhar e nosso afeto saibam incluir a todos, pois a única e verdadeira fraternidade universal só pode existir em ti, cujo sangue foi derramado por todos! Prometeste que haverá um só rebanho e um só pastor. É por isso que o Pai te ama: porque dás a tua vida. Aceita nossa entrega e nossa liberdade, toma contigo o que somos e o que temos, para que haja um só rebanho e um só pastor.
Senhor Jesus, Bom Pastor do Rebanho, que dás a vida pelas ovelhas, caminha à nossa frente! Que tuas ovelhas te sigam com docilidade e coragem pelas estradas da vida. Senhor da Messe e Pastor do rebanho, faze ressoar em nossos ouvidos teu forte e suave convite: “Vem e segue-me”! Derrama sobre nós o teu Espírito, que ele nos dê sabedoria para ver o caminho e generosidade para seguir sua voz.

Acolhamos confiantes a bênção, nascida do coração de Jesus, Bom Pastor do Rebanho, que a Igreja oferece aos enfermos que somos todos nós: “O Senhor Jesus Cristo esteja contigo para te proteger, esteja à tua frente para te conduzir, atrás de ti para te guardar. Olhe por ti, te conserve e te abençoe”.