Barnabitas: 488 anos de aprovação da fundação da ordem

Neste dia 18 de fevereiro, a Ordem dos Clérigos Regulares de São Paulo celebra 488 anos da aprovação concedida pelo então Sumo Pontífice Papa Clemente VII. Com a atuação em quinze países e quatro continentes, os Padres Barnabitas disseminam os ensinamentos do fundador, Santo Antônio Maria Zaccaria, contribuindo para a propagação do evangelho de Jesus Cristo, sendo Ele o Caminho, a Verdade e a Vida.

Na capital paraense, a comunidade administra um dos mais importantes ícones de evangelização, a Paróquia de Nazaré, que junto ao povo paraense, são os maiores propagadores da devoção à Rainha da Amazônia tendo no Círio de Nazaré a sua maior expressão de devoção mariana da região e do mundo. Constitui-se, ainda hoje, o mais significativo sinal da presença barnabítica no Norte do Brasil.

A Paróquia composta por sete comunidades, sendo elas: Santo Antônio Maria Zaccaria, São Paulo Apóstolo, São Brás, Santa Bernadete, Sagrada Família, Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora das Graças.

Em 2020, tornaram-se a rede de apoio dos fiéis que precisaram ficar em casa, em função do cenário pandêmico. Fortaleceram-se na fé e em comunhão, levaram a Palavra do Evangelho de Jesus Cristo ao coração do povo do mundo inteiro. Utilizaram as plataformas digitais para evangelizar.

Dentre os países que acolheram os Padres Barnabitas, estão: Albânia, Argentina, Afeganistão, Bélgica, Canadá, Chile, Congo, Espanha, Estados Unidos, Filipinas, Itália, Polônia, Ruanda e Suíça. No Brasil, desde agosto de 1903, atuam em Brasília, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, São Paulo e Fortaleza.

Padres Barnabitas

Constituem uma família religiosa de Sacerdotes, fundada por Santo Antônio Maria Zaccaria, em Milão – Itália, em 1533.

A partir do seu dinamismo pastoral, com o tempo foi sendo consolidado um grupo de seguidores, que recebeu a denominação formal de “Clérigos Regulares de São Paulo”.

Esta denominação possui o seguinte significado:

Clérigos, por que, como sacerdotes, fazem parte do Clero; Regulares porque vivem em comunidades, seguindo a mesma regra de vida com os propósitos de castidade, pobreza e obediência; de São Paulo porque identificam o Apóstolo como seu Patrono, no seguimento e na pregação de Jesus Cristo, Caminho, Verdade e Vida.

Em pouco tempo passaram a ser chamadas de “Barnabitas” e assim são conhecidos até hoje, porque tiveram como primeira morada fixa uma igreja dedicada a São Barnabé Apóstolo.

O programa espiritual e apostólico permanece com o mesmo ideal traçado pelo fundador: “Levar a viveza espiritual e o espírito vivo aonde quer que seja!”.

 

Fotos: ASCOM Basílica Santuário de Nazaré

Texto: Yêda Sousa – Ascom Basílica Santuário de Nazaré

Faça a sua doação

Para a modernização dos equipamentos de transmisão da SANTA MISSA