Círio 2022: Cerco de Jericó iniciará 19 de junho

Com as intenções voltadas para a realização do Círio 2022, união das famílias, bem-estar físico e espiritual, além das intenções pessoais, a Diretoria da Festa de Nazaré (DFN), junto aos Padres Barnabitas, realizará o Cerco de Jericó, a partir do dia 19 de junho.

A Santa Missa de abertura do Cerco de Jericó será realizada na Capela Bom Pastor, localizada no Centro Social de Nazaré, às 12h, e será presidida pelo Reitor da Basílica Santuário de Nazaré Padre Francisco Assis Maria de Oliveira. Após, haverá a exposição do Santíssimo e assim iniciará, de fato, o Cerco.

O momento de oração durará por sete dias e funcionará da seguinte forma: serão sete dias de orações constantes; a cada 3h, um grupo será responsável pela condução do Santo Rosário com o Santíssimo exposto. De segunda a sexta-feira, às 20h, Santa Missa do Cerco de Jericó. Além disso, um local será disponibilizado para que os fiéis escrevam suas intenções em um papel e possam depositar no mesmo.

O encerramento acontecerá no dia 25 de junho, com a condução do Santíssimo em uma procissão até a Basílica Santuário de Nazaré. Uma santa Missa será celebrada e, ao final, as intenções escritas nos papéis serão incineradas em uma cerimônia.

Sobre o Cerco de Jericó:

O Cerco de Jericó é um tempo de oração incessante diante do Santíssimo Sacramento exposto. Sua inspiração está no Antigo Testamento, Livro de Josué, cap. 6. O Santo Padre João Paulo II devia ir à Polônia em maio de 1979. Era uma visita muito difícil, pois o país vivia sob o regime comunista. Nossa Senhora do Santo Rosário teria dado uma ordem precisa a uma alma privilegiada da Polônia: “Para a preparação da primeira peregrinação do Papa à sua Pátria, deve-se organizar na primeira semana de maio de 1979, em Jasna Gora (Santuário Mariano), um Congresso do Rosário: sete dias e seis noites de Rosários consecutivos diante do Santíssimo Sacramento exposto”.

A ordem fora apresentada às autoridades eclesiásticas competentes, que a aprovaram e fizeram a ressalva de que deveria chamar de “Cerco de Jericó” tal iniciativa. Foi, então, com redobrado fervor, que se organizou o “assalto” de Rosários. E, no dia 7 de maio, ao mesmo tempo em que terminava o Cerco, caíram “as muralhas de Jericó”. Um comunicado oficial anunciava que o Santo Padre visitaria a Polônia de 2 a 10 de junho. Sabe-se como o povo polonês viveu esses nove dias com o Papa, o “seu” Santo Padre, numa alegria indescritível! Em várias partes do mundo estão sendo realizados agora Cercos de Jericó.

 

Fotos e texto: Karol Coelho – Ascom Basílica Santuário de Nazaré