Corpus Christi: Acompanhe a programação da Basílica Santuário de Nazaré

“Que o Corpo e o Sangue de Cristo sejam a presença e apoio em meio às dificuldades, sublime conforto no sofrimento de cada dia e garantia de ressurreição eterna.”

A Igreja celebra, nesta quinta-feira (03), a Solenidade de Corpus Christi. Esta é a festa do Corpo e Sangue de Jesus Cristo! Um momento que celebra o mistério da Eucaristia que foi instituído pelo Papa Urbano IV no dia 8 de setembro de 1264.

Neste momento, a Igreja relembra o êxodo de Jesus do Cenáculo para o monte das Oliveiras. Jesus, naquela noite, sai e entrega-se ao traidor, ao exterminador e, precisamente assim, vence a noite, vence as trevas do mal. Só desta forma, o dom da Eucaristia, instituída no Cenáculo, encontra o seu cumprimento: Jesus entrega realmente o seu corpo e o seu sangue. Atravessando o limiar da morte, torna-se pão vivo, verdadeiro maná, alimento inexaurível para todos os séculos. A carne torna-se pão de vida.

Na Basílica de Nazaré, todas as celebrações contarão com a presença dos fiéis. Para quem não puder participar  de forma presencial, as solenidades serão transmitidas redes sociais oficiais do Santuário: Facebook e YouTube.

7h: Santa Missa (Transmitida pelo Facebook e YouTube)

9h: Santa Missa

12h: Santa Missa

16h: Adoração ao Santíssimo Sacramento

18h: Santa Missa (Transmitida pelo Facebook e YouTube)

Acompanhe um trecho extraído da homilia do Papa Bento XVI:

“Na procissão de Corpus Christi, acompanhamos o Ressuscitado no seu caminho pelo mundo inteiro. E, precisamente fazendo isto, respondemos também ao seu mandamento: “Tomai e comei… Bebei todos” (Mt 26, 26s.). Não se pode “comer” o Ressuscitado, presente na figura do pão, como um simples bocado de pão. Comer este pão é comunicar, é entrar em comunhão com a pessoa do Senhor vivo. Esta comunhão, este ato de “comer”, é realmente um encontro entre duas pessoas, é deixar-se penetrar pela vida d’Aquele que é o Senhor, d’Aquele que é o meu Criador e Redentor. A finalidade desta comunhão, deste comer, é a assimilação da minha vida à sua, a minha transformação e conformação com Aquele que é Amor vivo. Por isso, esta comunhão exige a adoração, requer a vontade de seguir Cristo, de seguir Aquele que nos precede.
Por isso, a adoração e a procissão fazem parte de um único gesto de comunhão; que respondem ao seu mandamento: “Tomai e comei”.

 

Faça a sua doação

Para a modernização dos equipamentos de transmisão da SANTA MISSA