Domingo, 16ª semana do Tempo Comum

Reflexão do Evangelho – Lucas 10, 38-42

Com a parábola do Bom Samaritano (15º D TC), Jesus nos ensinou, de forma prática, como alcançar a vida eterna. De fato, “amar o próximo como a si mesmo” é o mandamento que resume toda Lei e os Profetas. Não podemos, contudo, nos esquecer que tudo deve ser motivado pela prática do primeiro e o maior dos mandamentos: “Amarás o Senhor teu Deus de todo teu coração, com toda tua alma e com todo o teu espírito”. Isto ocorre pela escuta da Palavra de Deus. É a melhor parte da qual “certamente – diz Jesus a Marta – não serei eu que vou dizer a Maria dela abdicar, uma vez que ela fez a melhor opção”. Para nos convencermos disto, basta pensar com que determinação, desde que iniciou a sua vida pública, Jesus prega a Boa Nova do Reino de Deus: em toda parte, nas sinagogas e às multidões que o procuram. Nisto consiste o seu amor ao próximo, enquanto ligado à sua vida de oração. Este binário será uma constante tão marcante na sua vida que os apóstolos chegarão a lhe pedir que lhes ensine a rezar. E será a oração do ‘Pai Nosso’ que ele nos ditará.

Temos que estar atentos a este aspecto da vida cristã, segundo o conselho de Paulo: “A Palavra habite em vós abundantemente: com toda sabedoria ensinai e admoestai-vos uns aos outros” (Cl 3,16).

Padre Ferdinando Maria Capra pertence à Ordem dos Clérigos de São Paulo (Barnabitas) e serve no Rio de Janeiro (RJ).