MEMÓRIA DO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA – por Don André Maria Cardoso

Ontem a Igreja celebrou a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, hoje, faz memória do Imaculado Coração de Maria. Apesar de serem festejados em dias separados, estes corações possuem algo em comum: ambos estão inflamados por amor à humanidade!

No dia anterior, por exemplo, fizemos memória de um coração humano, mas que pertence a uma pessoa divina, Nosso Senhor. A metáfora do coração é utilizada para falar da capacidade humana de o homem poder amar mais – amor ágape-  pois possuímos uma alma espiritual.

Por essa razão, hoje, fazemos memória de um coração humano. De fato, este coração que pertence a uma mulher teve seu ápice na iniciativa de Deus. Ele quis que a salvação acontecesse passando pelas mãos humanas. Assim, Deus quis vir ao mundo se utilizando de um coração externo, coração este sem mácula. E como isso aconteceu?

Aconteceu porque nós, cristãos, possuímos algo de divino que chamamos de graça. É ela que realiza em nossa alma as modificações, dando-nos a grande capacidade de amar. Assim, na alma de Maria, desde o primeiro momento da sua concepção Deus a impregnou da graça de forma jamais igual na história de todas as criaturas. Por causa disso, o Imaculado Coração de Maria é um coração humano que está inflamado de amor por nós.

No evangelho segundo Lucas (cf. 1, 26-38), temos o verbo em grego, kekarithoméne, isto é, cheia de graça. De fato, Jesus nos deixou de presente um coração que se assemelha ao Seu. Por outro lado, temos a certeza desta devoção quando a Santíssima Virgem Maria, na segunda aparição aos três pastorinhos em Fátima aos 13 de junho de 1917, afirmou que [1]“Ele [Jesus] quer estabelecer no mundo a devoção do meu Imaculado Coração”.

Sigamos a orientação de São Lourenço Justiniano, bispo que nos aconselha: [2]“Imita-a tu, ó alma fiel! Se queres purificar-te espiritualmente e conseguir tirar as manchas do pecado, entra no templo do teu coração. Aí Deus olha mais para a intenção do que para a exterioridade de tudo quanto fazemos […].”

De fato, Maria é a pessoa que mais amou, por isso, temos grande veneração por esse Imaculado Coração. É esse o coração que estamos celebrando e queremos continuar a fazer memória. A esse coração de Mãe é que queremos nos confiar. Que Ela faça em nós o transplante de coração de que necessitamos! Que possamos ser verdadeiramente filhos do Imaculado Coração de Maria.

Imaculado Coração de Maria, sede a nossa salvação!

 

[1] 1 SANTUÁRIO DE FÁTIMA. A segunda aparição de Nossa Senhora na Cova da Iria (13.06.1917), p.4. http://www.fatima.pt/files/upload/estudos/E008_A%20segunda%20aparicao%20de%20Nossa%20Senhora.pdf

[2] Dos Sermões de São Lourenço Justiniano, bispo. Sermo 8, in festo Purificationis B.M.V.: Opera 2, Venetis1751,38-39.

Faça a sua doação

Para a modernização dos equipamentos de transmisão da SANTA MISSA