Quarta-feira, 16ª semana do Tempo Comum

Reflexão do Evangelho – Mateus 13, 1-9.

Quando interpretamos a parábola do semeador, com a imprescindível ajuda de Mc 4,14-20, logo nos apercebemos que a semente é o próprio Jesus, a “Palavra que se fez carne” (Jo 1,14). Alguém, portanto, maior que Salomão. Infelizmente, quem dela se aproveita é somente a quarta parte dos ouvintes. São eles que, reconhecidos pelos seus frutos, “por ter posto em prática a vontade do Pai”, serão convidados a entrar no Reino dos Céus (Mt 7,21).

É preciso tomar consciência da importância  de Deus que nos fala pelo Filho. O próprio Jesus, embora ressalte o sucesso da Palavra semeada no bom terreno, reconhece que ela é neutralizada por muitos. Atentos à sua preciosidade, sinalizada particularmente por Jo 1,1-18 que declara ser ela luz da Vida, que nos comunica a graça e a verdade, ambicionemos acolhê-la. Por ela, de fato, nos tornamos “filhos de Deus” (Jo 1,12).

 

Padre Ferdinando Maria Capra pertence à Ordem dos Clérigos de São Paulo (Barnabitas) e serve no Rio de Janeiro (RJ).