Sábado, Transfiguração do Senhor

Reflexão do Evangelho – Lucas 9,28b-36

A Transfiguração é mais um quadro catequético que quer ilustrar qual é o sentido da “saída deste mundo de Jesus” (v.31). Tudo ocorre no oitavo dia, uma clara alusão ao dia da ressurreição, confirmada pelo rosto de Jesus que “mudou” (v.29) e da “roupa que ficou branca e brilhante” (ibid.).  A Morte de Cristo foi a consumação de um sacrifício, como testemunham a Lei e os Profetas. Cristo morreu segundo as Escrituras e ressuscitou segundo as Escrituras (1Cor 15,3). Tudo somente pode ser interpretado quando o Espírito nos envolve como uma nuvem, seu símbolo.

Compreendemos, então, que Jesus é o “Filho, o Eleito” que deve ser escutado. Deus glorificou o seu Filho pela sua obediência até a morte, e morte de cruz, para que nele se realizassem as perfeitas condições do homem criado “à imagem e semelhança de Deus”, tornando-se desse modo princípio de redenção e santificação de nós, tornados seus irmãos. Por ele, “desfeito esse corpo mortal, nos é dado, nos céus, um corpo imperecível”.

Padre Ferdinando Maria Capra pertence à Ordem dos Clérigos de São Paulo (Barnabitas) e serve no Rio de Janeiro (RJ).