Terça-feira, 18ª semana do Tempo Comum

Reflexão do Evangelho – Mateus 14, 22-36

O Senhor da Igreja

À multiplicação dos pães, segue-se a travessia do mar. Da mesma forma que a multiplicação dos pães ilustra a instituição da Eucaristia, a travessia ilustra Jesus que a realizou. Ele é um homem de oração, aquele que já respondeu ao diabo que seu alimento é “toda palavra que sai da boca de Deus” (Dt 8,3). É como se, estando a Igreja num barco, tentando realizar uma travessia, fosse socorrida por aquele que revela a sua condição extraordinária aparecendo-lhes, andando sobre as águas e Pedro, incautamente, quisesse fazer a mesma experiência do seu Mestre. A Igreja tem que se convencer que ela somente se sentirá segura se reconhecer as condições extraordinárias do seu Mestre, a partir da Eucaristia, da qual a multiplicação dos pães é uma válida catequese. Por ela, fica claro que a condição de dar o alimento que dure até a vida eterna é exclusiva do Filho do Homem. A Igreja tem o dever de administrá-lo, distribuindo-o e recolhendo o que dele restou.

Toda reflexão deve convergir na Pessoa do Senhor ressuscitado, para sempre estarmos abertos a uma confissão da sua divindade e a dizer: “A quem iremos nós, Senhor, só tu tens palavras de vida eterna; e nós cremos que tu és o Santo, o Filho de Deus” (Jo 6,68s).

Padre Ferdinando Maria Capra pertence à Ordem dos Clérigos de São Paulo (Barnabitas) e serve no Rio de Janeiro (RJ).