Terça-feira, 6ª Semana da Páscoa: Reflexão do Evangelho

Reflexão do Evangelho – João 16,5-11

A função do Espírito na Igreja

Por Padre Ferdinando Maria Capra, CRSP

O anúncio que Jesus fez da traição de Judas e da negação de Pedro, que deixou os Apóstolos perplexos e tristes, era o começo de um alerta para que entendessem de que forma enfrentariam a sanha homicida do mundo, depois da sua volta Àquele que o enviara. Assistidos pelo Espírito da Verdade, além de chegar, por Ele, à plena Verdade, nele teriam o seu Defensor, porque provaria ao mundo que ele é o Cristo, profetizado pelas Escrituras, como aconteceu no dia de Pentecostes pela pregação de Pedro (Atos dos Apóstolos 2,38); provaria que Ele é o Justo que Deus glorificou, do qual os Apóstolos dariam testemunho. Por Ele ficaria claro que por Cristo Jesus, o “Príncipe deste mundo” fora definitivamente vencido.

Esta perícope é a síntese de Gv 14, ao qual está relacionada pela queixa de Jesus ao ver que os Apóstolos não estão interessados em tomar conhecimento do sentido da sua volta ao Pai, que os levaria a compreender a sua glorificação (cf. 14,28b).

Padre Ferdinando Maria Capra pertence à Ordem dos Clérigos de São Paulo (Barnabitas) e serve no Rio de Janeiro (RJ).